19:54

Amor Encantado!!!


Há mais para dizer, mas não temos a linguagem necessária. Há mais para ver, mas não temos olhos para isso. Há mais para amar, mas não temos o coração...
Ainda não, meu amor. Ainda não. Pois acredito no poder do amor e na atração magnética dos planetas em suas órbitas. Você é atraído para circular à minha volta e eu sou atraída para circular à sua volta. Circularemos para sempre um em volta do outro, pois nossas órbitas são atraídas uma para a outra. O sol no centro determinou isso e sua lua, por mais fraca ou mais forte, por mais que seja central à nossa visão ou apenas periférica e às vezes ignorada, sempre nos fará voltar aos nossos corações. De volta à casa, então, no refúgio do amor, sempre nos encontraremos. Eu estarei lá, nem que seja por um momento, e direi a você, todas as vezes: "Eu lembro, meu querido. Este é o meu lar."

"Você acha que os planetas se chamam de querido? " Você perguntou com um sorriso.
"Em certos níveis", eu disse, acho que chamam.

É aí que nós todos começamos: um príncipe e uma princesa um desejando o outro, vagando por terras estranhas à procura de alguém que perdemos. O que procuramos não é um "arranjo" eterno, mas uma bênção interior e nossas almas se voltarão para a possibilidade de união como as flores se voltam para a luz do sol. Fadas malvadas e rainhas perversas, monstros e dragões e feitiços perigosos sempre ameaçarõa nossa chegada a esse céu. Contudo, somos atraídos para nosso destino como por um ímã e, enquanto monstro podem nos atrasar, eles não têm poder para mudar nosso caminho. O mapa da nossa liberdade está confiado a anjos e guardados por eles. Encontraremos as trevas de uma existência solitária, mas nos encontraremos outra vez na luz de uma intensa e generosa compreensão. Encontramos nesse lugar um beijo interminável.

Cada um de nós leva gravadas no coração as seguintes instruções: "Venha para casa. Venha para casa." Então, o amado chega para nos levar. Como o príncipe que chega para acordar a Bela Adormecida, ele é um príncipe terreno que acaba de receber a mais alta coroa. Com sua espada da verdade - sua integridade intacta - ele corta o mato que circunda o castelo e nos livra da escuridão da nossa mais longa noite. Desperta, abraçamo-nos e juntos entramos em reinos encantados. O reino da terra é assim revivido e a vida começa para todos.

Era um vez... Numa dimensão muito distante do consciente começou uma aventura mística. Agora, muito tempo depois, começamos a despertar do nosso sono profundo da separação e culpa. Há um som de passos quando o amado se aproxima. Ele chegou ao nosso lado e estamos prestes a acordar da morte de nossas antigas identidades. O amado traz o elixir do renascimento nas duas mãos, em cada beijo, e nossas almas se reúnem em Deus. Estamos livres dos nossos pesadelos. Somos perdoadas e libertadas. Estamos totalmente apaixonadas. Tão felizes por estarmos em casa.


Elisangela Amorim.

22:36







19:23

As aparências enganam!!!



Susan Boyle uma inglesa de 47 anos tornou-se um fenômeno mundial, não se fala em outra coisa nos corredores das emissoras norte-americanas, nas casas, nos restaurantes, no trabalho e nas universidades, ela simplesmente tornou-se uma febre na internet. Por que será que esta senhora ficou famosa da noite pro dia?
Ao participar do programa Britain's Got Talent, ela confessou que canta desde os 12 anos, e que gostaria de se tornar cantora profissional assim como Elaine Paige, este era o seu sonho, o jurado e produtor Simon Cowell não acreditou muito no potencial desta mulher ao entrevistá-la antes da apresentação e muito menos a platéia...



Mas quando Susan soltou a voz, cantando uma das canções de "Les Miserables - I dreamed a dream", surpreendeu a todos com uma voz tão bela que estava escondida naquele corpo e na aparência dela, digamos fora dos padrões que estamos acostumados de beleza.


Ela foi brilhante, simplesmente magnífica, nunca ninguém soube cantar aquela música (que diria dificílima) como ela soube, a letra da música parecia dançar em sua voz, me recordo da peça, e vou confessar a vocês, pouquíssimas vezes, uma música tocou tanto o coração.

Lendo hoje uma coluna do jornal, a vida desta inglesa pode virar filme, nunca foi casada e nunca foi beijada, confissões da própria Susan ao programa britânico, e segundo o jornal Daily Telegraph, a atriz cotada para fazer o papel de Susan é Nicole Kidman, isso é uma das tantas novidades que estarão por realizar-se na vida desta pacata senhora.

Isso traz a tona uma questão muito importante, a aparência é realmente importante? Porque as pessoas não respeitam as outras, como foi o caso de Susan na apresentação, onde zombaram dela antes de começar a cantar, não davam nenhum crédito aquela senhora... Por que?

Antes de responder estas perguntas gostaria de deixar registrado aqui um velho e conhecido ditado: "as aparências enganam", e enganam mesmo, é fato! E uma verdade seja dita, é o que acontece, somos guiados pelo externo, pela aparência física, pelo menos nas nossas primeiras impressões sobre alguma pessoa.

Temos que ter consciência de que só a aparência não faz ninguém ser especial. Ser bonita ou bonito apenasm não faz dessa pessoa, necessariamente, uma boa pessoa, um bom pai, uma boa mãe. O tema é complexo, porém é necessária a discussão desse assunto a beleza física é fundamental pra você?

Se for, você não precisa seguir lendo este texto, tem outras coisas melhores para fazer, acredite!

Agora para você, que não acha essencial a beleza externa, é bom saber que está, no mínimo agindo com inteligência, e ao mesmo tempo "ouvindo os sentimentos". É essa a combinação perfeita, que está em muitas escolhas que temos que fazer em nossas vidas.

Portanto, a aparência está muito além do físico, está na personalidade, na essência, no caráter de cada um, está no desejo de seguir em frente ou estacionar no tempo, está no agora, no presente e no futuro...está muito além de nossa modesta compreensão.

A Susan meu desejo de boa sorte, que consiga realizar os seus sonhos, que não perca a essência e o importante, não se deslumbre com os holofotes, eles podem cegar!!!


Bom final de semana!!!


Beijinhos,

Eli.














22:40

Enlou-cresça!!!

Estava lendo alguns textos de Drummond, que amo de paixão, e me deparei com este abaixo, pensei comigo mesma, putz vou postá-lo no meu blog, já que acredito que muitos irão se identificar com ele, assim como eu me identifiquei...
Ops, quero ressaltar que não estou a procura de um namorado...hehehe...estou curtindo um momento da minha vida, da qual quero minha liberdade, se aparecer, óbvio que será bom, pois ninguém merece ficar sozinho ou sozinha nessa vida!!!


Namorado: ter ou não, é uma questão!

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias não renumeradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, de saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia.

Paquera, gabiru, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil, mas namorado mesmo, é muito difícil.

Namorado não precisa ser o mais bonito, mas aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda, decidida, ou bandoleira: Basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.

Quem não tem namorado não é quem não tem um amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento e dois amantes, mesmo assim pode não ter namorado.

Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema sessão das duas, medo do pai, sanduíche de padaria ou drible no trabalho.

Não tem namorado quem transa sem carinho, quem acaricia sem vontade de virar sorvete ou lagartixa e quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugida ou impossível de durar.

Não tem namorado quem não sabe o valor de mãos dadas; de carinho escondido na hora em que passa o filme; de flor catada no muro e entregue de repente; de poesia de Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes ou Chico Buarque lida bem devagar, de gargalhar quando fala junto ou descobre a meia rasgada; de ânsia enorme de viajar para a Escócia ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo alado, tapete mágico ou foguete interplanetário.

Não tem namorado quem não gosta de dormir agarrado, fazer sesta abraçado, fazer compra junto.

Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor, nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele, abobalhados de alegria pela lucidez do amor.

Não tem namorado quem não redescobre a criança própria e a do amado e sai com ela para parques, fliperamas, beira d'água, show do Milton Nascimento, bosque enluarado, ruas de sonhos ou musicais da metro.

Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de o seu bem ser paquerado.

Não tem namorado quem ama sem gostar, quem gosta sem curtir, quem curte sem aprofundar.Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim-de-semana, na madrugada ou no meio-dia de sol em plena praia cheia de rivais.

Não tem namorado quem ama sem se dedicar; quem namora sem brincar; quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir com ele.

Não tem namorado quem confunde solidão com ficar sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque descobriu que o amor é alegre e você vive pesando duzentos quilos de grilos e de medo, ponha a roupa mais leve e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras, e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim.
Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo da sua janela. Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fadas. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteria.
Se você não tem namorado é porque ainda não enlouqueceu aquele pouquinho necessário a fazer a vida parar e de repente parecer que faz sentido.

Enlou-cresça!!!

[Carlos Drummond de Andrade]

19:25

Um dia algo deverá fazer sentido!!!

"Sou uma só, mas ainda assim sou uma. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E, por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso. O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.”


[Madre Tereza de Calcutá]



Ajude os semelhantes, mas não assuma os seus problemas.
A ajuda só tem valor se não houver interesses de recompensa.

É ajudando que transferimos para os outros o amor que sentimos por nós mesmos.
Entretanto, precavenha-se para não se deixar transtornar pelos problemas das outras pessoas. Você deve ter a máxima boa vontade, despreendimento e espírito de abnegação, mas não carregue consigo os problemas dos outros.
A vida é uma escola, e todos nós precisamos estudar para ser aprovados.
Colabore com seu irmão, mas permita-lhe vencer os obstáculos pelos próprios esforços.
Somente assim você estará de fato ajudando os outros.
(Autor Desconhecido).

11:58

Meu sorriso!!!


“No momento em que sorrimos para alguém, descobrimo-lo como pessoa, e a resposta do seu sorriso quer dizer que nós também somos pessoa para ele”. Antoine de Saint-Exupéry

Entre todos o jeitos de comunicarmos aprovação, o sorriso é o sinal que tem a maior carga de ternura. Por isso é tão confortável sua presença e a lembrança machuca pela falta.
Ensaiar um sorriso é abrir a porta e convidar para entrar. Permitir aproximação. Deixar se envolver. Sorrir com cumplicidade é o primeiro flerte quando ainda não são preciso palavras para dizer o que se deseja.
A melhor parte é a sincronia dos cliques dos fotógrafos. Conforto para o sofrimento. Viraliza pelo contágio. Alguns têm cheiro de lembranças inesperadas e os músculos contraem meio assim sem querer. Outros são carregados nas trocas de olhares entre pessoas queridas. Com alegria em beijos-de-oi e com uma saudadezinha em beijos-de-tchau.

Carregar um sorriso nos lábios é a vontade de dias suaves, reciprocidades e toalhas fofas e secas.
texto: Tiago Yonamine
Lendo este texto me fez lembrar de um dos sorrisos mais belos que já vi, e que pude acompanhar por algum tempo, o sorriso mais sincero e sem cobranças, o sorriso que me fazia chorar toda vez que saia de seu quarto no hospital...ah, que sorriso era aquele, sorriso puro, sem maldade, sem provações...é sim, meu pekeno, este texto é pra ti, Robertinho, o meu sorridente, que mesmo na dor, não deixou um minuto de sorrir...Quero ser como vc era!!!
Onde está o meu sorriso???
Beijinhos,
Eli.

14:05

Contrários!!! By Padre Fábio de Melo



Contrários

Só quem já provou a dor
Quem sofreu, se amargurou
Viu a cruz e a vida em tons reais
Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu
precisou saber recomeçar
Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota algum motivo para lutar
E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no conflito que a vida faz crescer
Que o verso tem reverso
Que o direito tem avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários
E a saudade é um lugar
Que só chega quem amou
E que o ódio é uma forma tão estranha de amar
Que o perto tem distâncias
E o esquerdo tem direito
Que a resposta tem pergunta
E o problema solução
E que o amor começa aqui
No contrário que há em mim
E a sombra só existe quando brilha alguma luz.
Só quem soube duvidar
Pôde enfim acreditar
Viu sem ver e amou sem aprisionar
Quem no pouco se encontrou
Aprendeu multiplicar
Descobriu o dom de eternizar
Só quem perdoou na vida sabe o que é amar
Porque aprendeu que o amor só é amor
Se já provou alguma dor
E assim viu grandeza na miséria
Descobriu que é no limite
Que o amor pode nascer.

[Padre Fábio de Melo]





O limite entre o bem e o mal,

O bom e o ruim.

A dor ou o prazer.

A vida e a morte.

O som e o silêncio.

O amor e o ódio.

Tanto se fala, Profetiza, Poetisa,

E nada continuamos a saber,

Pior sentir e refletir.

Os contrários são inimigos?

Ou inseparáveis e melhores amigos?
Pra se pensar e refletir, ótima música!!
Beijos,
Eli.

21:21

Silêncio!!!


"Cuide para que teu silêncio

Não te traga marcas

Que emudeça a alma

Calando tão belos momentos

Tenha sempre em mente

Que nunca ter sido lembrado

É melhor que esquecido totalmente

Quando se foi tão amado...

Silenciar é uma arte

Que instiga reflexão

Tal qual palavras de sabedoria,

O silêncio provoca uma ação.

Quem trouxe um dia a poesia,

Poderá destruir um coração????

Cuide para que teu silêncio de agora

Não se transforme depois

Em grandes e tristes ecos de dor....

Pois Jamais haverá vitória,

Na derrota do Amor....

Seja sábio ao silenciar

Pois poderá escutar, esses brados do tempo:
_ Minha voz é calma e suave...

Mas não queira ouvir o meu silêncio

................................

É ensurdecedor!!!!!!"


(Rose Felliciano)





Não tenho mais nada a dizer...Boa semana a todos!!!



Beijinhos,

Eli.

19:06

Indiferença!!!


Ultimamente minha mente não está tão bem quanto deveria estar, preocupações, problemas pessoais e confusões que me deixam puta da vida, coisas banais que deveriam ser resolvidas logo, mas que ficam se adiando, adiando...

Li este texto da escritora brasileira Martha Medeiros, e ela conseguiu tocar fundo no meu coração. Fez todo o sentido...como se fosse um insight pra mim...

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência?

O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.

Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

[Marta Medeiros]
Beijos,
Eli Amorim.

00:00

Palavra de hj: Confiança!!!


Costumo dizer que as pessoas só pisam na bola comigo uma única vez, pois não existe a segunda chance. Confiança para mim é como um cristal delicado e único que uma vez quebrado, não tem conserto.

Pode-se tentar relapidar, mas terá outra forma, outro brilho, outro valor, nunca mais será o mesmo.

Depois de uma determinada situação que vivi em minha vida, fiquei assim; E EU NÃO GOSTO DE FICAR ENXERGANDO PERIGOS OU INIMIGOS EM CADA PESSOA que aparece em minha frente!

Todos me dizem que é preciso ter confiança, sobre confiança, aprendi que:

Confiança é o ato de deixar de analisar se um fato é ou não verdadeiro, entregando essa análise à fonte de onde provém a informação e simplesmente absorvendo-a.
Confiar em outro é muitas vezes considerado ato de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança.
A confiança é muito subjetiva porque não pode ser medida, é preciso ter confiança em quem se confia para poder confiar, o que torna a confiança um conceito intrínsico.
Confiança é o resultado do conhecimento sobre alguém. Quanto mais informações corretas sobre quem necessitamos confiar, melhor, formamos um conceito positivo da pessoa.
O grau de confiança entre duas pessoas é determinado pela capacidade que elas têm de prever o comportamento uma da outra. Também é “a expectativa que nasce no seio de uma comunidade de comportamento estável, honesto e cooperativo, baseado em normas compartilhadas pelos membros dessa comunidade”. Quando isso ocorre, tenho condições de prever o comportamento do outro em uma dada circunstância.

Confiança é previsibilidade do comportamento. Ao observar o comportamento de alguém, somos capazes de identificar os valores que determinam por que as pessoas se comportam de uma determinada maneira.

Sei que todos nós pisamos na bola, afinal, errar é inerente ao ser humano, assim como respirar. No entanto, existem erros e erros. Ser sincero sempre, dá credibilidade quando erramos sem querer, quando pedimos desculpas.


Por isso, peço a você marmota que me perdoe!!!


"Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.

Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.

E com confiança no que diz."

14:04

Pedido a Deus - Desejo da Eli...


Hoje não acordei muito bem, e resolvi navegar pela infinita internet, com seus textos surreais, pequenos, sem nexo, mas no meio disso tudo, e com a cabeça confusa, achei esse texto mais que oportuno de uma moça chamada Joice Lagos, e que me identifiquei muito...


"Um dia no auge da minha dor, do meu desespero, eu decidi me ajoelhar ao pé da cama, fazer uma oração a Deus, já que não havia mais esperança dentro de mim. Em minha oração eu pedia entre soluços e lágrimas que Deus me trouxesse de volta o que eu havia perdido, coisas e pessoas que acreditava serem imprescindíveis e de valor insuperável.

Após um longo período de oração e súplica, eu achava que Deus não ouvia as minhas preces, Cheguei a me indagar se Deus não me estava punindo, cheguei até a pensar que ele não existia, até que perdi a esperança e o abandonei.

Quando retornei a orar, vi que Deus jamais havia me abandonado, senti sua presença, e chorei, mas não de dor e sim porque entendi que ele me amava e quando tirava de mim o caminho que eu havia escolhido, não estava me punindo e sim me livrando do que é mal. Então eu disse: Deus seja feita conforme a tua vontade, se não queres este caminho para a tua serva, me mostra o caminho que devo seguir, afasta de mim as coisas vãs e, mesmo que isso agora venha a me causar a dor. Ensinas-me, o caminho a seguir.

Nesta hora meu coração se alegrou, senti a presença de Deus perto de mim, mesmo não sendo uma pessoa que freqüenta uma Igreja.

Hoje, eu vejo que os caminhos que eu havia escolhido, me trariam dor e infelicidade, caminhos que não me levariam a lugar algum.

E quando eu achava que Deus não ouvia minhas preces, ele estava ali me afastando do que é mal e escrevendo um caminho melhor.

Hoje Deus me deu muito mais do que lhe pedi, ele me deu paz, amor, saúde, felicidade e fé.

Por algum motivo hoje Deus tocou em meu coração para enviar esta mensagem para outras pessoas, talvez porque em algum lugar esteja alguém que necessitas de uma palavra, para mudar o rumo de sua vida, talvez Deus queira tocar esta pessoa e lhe dizer que o ama e que o caminho que ele pretende seguir não faz parte dos planos de Deus para ele.

Mas saiba amigo que Deus está contigo em todos os instantes da sua vida, e se você acha que não há mais esperança, olhe ao seu redor, há tantas outras pessoas em pior estado que o seu, e que mesmo diante de tudo não fogem a luta, não se entregam e acima de tudo, tem força e vontade de viver. Olha mais um pouco e veja como é grande e vasto este mundo, tão repleto de maravilhas, que nunca temos tempo de apreciar.

E se não sentires vergonha olha pro céu e do fundo de seu coração peça a Deus que encaminhe seus planos, que ele faça conforme a sua vontade.

Entregue sua vida, nas mãos de Deus, confia nele e ele tudo fará.

Que Deus os abençoe sempre."

Amém.


É o que eu desejo a vc...Hj não keru sentir dor!!!

Beijos,

Eli.
P.S.: Deixo esta música de um grupo que gosto muito chamado Juanes!

23:19

Quero saber???


Por que a gente tem medo de se entregar, de corpo e alma, a alguém ou então a algo, uma paixão, um sonho?

Por que a gente tem tanto medo de se magoar, de se ferir?

Por que a gente se importa tanto com a opinião dos outros?

Por que a gente tem que dar satisfação para os outros?

Por que a gente tem que dizer sempre a verdade?

Por que a gente tem que fazer coisas de gente normal?

Por que a gente tem que estar sempre de bem com a vida, sorrindo, feliz, como se a vida fosse bela, sempre?

Por que a gente fica triste e chora e sente saudade e se desespera?

Por que uma música é capaz de mudar nosso humor?

Por que dormir é tão bom (desde é claro que você não tenha um terrível pesadelo)?

Por que a gente tem que pensar nos outros?

Por que a gente tem que dividir as coisas com os outros (principalmente quando se é criança, porque depois é cada um por si e Deus por todos)?

Por que a gente tem ciúmes?

Por que as férias passam tão rápido?

Por que somos tão diferentes se todos somos irmãos?

Por que existe coisa inútil como barata ou pombo ou lagartixa?

Por que tem tanta gente idiota no mundo?

Por que esses idiotas acham que é apenas "brincadeira" chamar um "oriental" da japonês, japa, china etc. etc. etc., e ainda achar que ele vai gostar da "brincadeira"?

Por que a gente se irrita, fica nervoso, se estressa com coisas ou pessoas tão insignificantes? Por que existe amor platônico?

Por que a gente sempre quer saber e entender tudo? Por que?

20:39

Vontades!!!


Eu estou com vontade de:

Comer chocolate;

Comprar um livro;
Comprar um vestido novo;

Tomar chuva;

E de depois da chuva, um banho quente;

Estou com vontade de...

fechar os olhos e fazer desejos acontecerem;

Vontade de chorar de tanto de rir;

Vontade de estar de mãos dadas com alguém;

De olhar em olhos que procuram pelos meus;

Vontade falar o que vier a minha cabeça;

Vontade até de gritar;

De esquecer os problemas que andam me sufocando;

Vontade de tomar chocolate quente com chantily;
Vontade de tomar o meu vinho preferido;

De dormir agarradinha com a pessoa que quero pra minha vida;

De viajar.... de sumir;

Ah, to com vontade de virar borboleta;

Voar alto...bem alto...e pra longe;

De andar por aí tendo a certeza de que encontrarei alguém que sinto saudade;

Vontade de sentir meu coração leve de novo.

Só isso que desejo a leveza do meu coração...nada mais!!!


Eli Amorim.

13:29

Feliz Niver German!!!


Uma pequena homenagem a pessoa que tem uma grande importância na minha vida! E hoje é aniversário dessa pessoinha linda que me dá um trabalho...rsrs...mas, que também me dá muita alegria, simplesmente por existir... Sim, é vc...German!!! Obrigada por ser você SEMPRE!!!

Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano.
Desejo a você, um ano cheio de amor e de alegrias. Afinal fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas lições, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas.
Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes. Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus. É ser grato, reconhecido, forte, destemido. É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo;

Parabéns a você nesse dia tão grandioso.
Beijinhos,
Eli.

19:59

Definições de amor!!! By Dr. House!


Essa é para as fãs de Gregory House – e para quem tem senso de humor. Corre pela internet um guia com os sintomas de amor, e a explicação de cada um deles pelo médico mais ranzinza e charmoso da TV. Não gostou? Bom, se não, sem problemas, apenas aprecie as fotos do post!


1. Seu coração bate mais forte quando você pensa na pessoa*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: taquicardia pode indicar fibrilação ventricular ou infante do miocardio. Você está tendo um ataque cardíaco

2. Tremor das mãos e outras partes do corpo*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Doença de Parkinson

3. Sorriso constante*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Paralisia de Bell

4. Esquecimento, incapacidade de concentração em tarefas simples*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Mal de Alzheimer

5. Tesão constante*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Ninfomania ou Satiríase ou, ainda, em casos mais graves, Priapismo.




6. Fraqueza nos joelhos e explosões de energia quando ele ou ela chama ou se aproxima*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Esclerose múltipla

7. Incapacidade de parar de pensar na pessoa em questão*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Transtorno obsessivo-compulsivo

8. Manchas escuras no pescoço, seios e… ahn… outras partes macias*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Leucemia

9. Insônia*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Hiperplasia Prostática Benigna

10. Sentir que você pode cheirar, ouvir ou até ver a pessoa mesmo em sua ausência*
Você pensa que é: amor*
O que o Dr. House diz: Esquizofrenia



13:56

Meu anti-herói! Dr. Gregory House


Hoje resolvi mudar de assunto, e falar um pouco sobre a minha série mais que preferida, na verdade, eu amoooo!!!

“Dr. House” tem como personagem principal Gregory House, um médico que é muito pouco convencional. Amargo, razinza, desconfiado e presunçoso, é odiado e ao mesmo tempo admirado pelos seus colegas de trabalho. Dá dores de cabeça aos seus superiores e resolve todos os problemas médicos que possam surgir com uma lógica brilhante.

House é uma série de investigação médica, em que o vilão é a doença e o herói é um médico polêmico, irreverente e anti-social que não confia em ninguém, muito menos em seus pacientes. Dr. House formou uma excelente equipe de três médicos, escolhendo apenas os melhores (de acordo com seus critérios pessoais e duvidosos) para diagnosticar doenças em casos misteriosos e já desacreditados.

Somente pacientes em estado crítico são examinados por esse time, sempre disposto a descobrir a causa dos males para salvar vidas, seja através das vias legais ou fazendo uso de métodos pouco tradicionais.

O discurso de House não surpreende porque é inusitado. Incomoda e faz pensar, como deve fazer a arte de verdade, porque está certo mesmo sendo absolutamente insensível, desumano. House funciona porque o mundo policamente correto da mídia que nos cerca é um tédio. House funciona porque o resto foi pasteurizado, é contido, castrado, insosso. House funciona porque apela para a inteligência da realidade, que não se comporta como um folhetim de boas maneiras e embaraços ou um conto de pequenas malvadezas desbaratadas.

A série gira em torno de um misterioso drama médico onde os vilões são as doenças e o herói é um irreverente e controverso médico, Dr. Gregory House, interpretado por Hugh Laurie, que não confia em ninguém, com exceção dos seus pacientes. Gregory (Hugh Laurie, "Stuart Little") é contra o contato com os pacientes e evita até mesmo falar com eles se não for preciso. Lidando com sua constante dor física, ele usa uma bengala que parece acentuar seu comportamento rude e brutalmente honesto. Embora seu comportamento possa ser taxado como anti-social, House é um médico dissidente cuja maneira nada convencional de pensar e instintos certeiros permitem que ele seja respeitado por todos.
Especialista em doenças infecciosas, ele é um médico que adora os desafios da profissão, que ele terá que solucionar para poder salvar vidas. Entre os casos de House estão doenças inexplicáveis que os outros médicos não conseguem solucionar, e ele uniu uma equipe de elite de jovens especialistas médicos para ajudá-lo a solucionar diagnósticos misteriosos.
Com a vida de um paciente em perigo, House fará o que for preciso para correr contra o tempo e solucionar o caso antes que ele tire sua vida, mandando um dos membros de sua equipe ir até a casa de um paciente em busca de pistas e possibilitar que ele utilize um controverso e arriscado tratamento na tentativa de salvar o paciente. Os métodos de House talvez sejam suspeitos, mas seus resultados não.
(Fragmentos retirados de wikipédia e da própria página da série).
Agora vou contar por mim, pois assisto a série desde que começou e sou uma house-maníaca, se assim posso dizer, Gregory House me fascina e me desconcerta. O médico rude, que evita contato com pacientes e que faz de diagnósticos verdadeiras peças de mistério, não poderia existir.
Não porque não existam médicos bons e que salvem vidas com a mesma obstinação de House e de seus dedicados pupilos. House não poderia existir porque esbarraria na primeira esquina do corredor. O Hospital-Escola no qual trabalha não admitiria nem manteria um médico como aquele, por mais brilhante que fosse. Isso porque na Medicina, profissionalismo não se escreve apenas com o P de procedimentos técnicos acertados, de perícia. Mas também com o P de prudência, e House é tudo menos prudente.
Seus métodos são heterodoxos, suas condutas são repreensíveis e suas insubordinações mais desviam do que educam os jovens médicos de sua equipe. Ele não é um bom professor, pelo menos no modelo dos velhos mestres. House não tem paciência, não é repetitivo, e nem se preocupa com isso. Não está lá para ensinar. Alguém poderia completar: está lá para salvar vidas.

Será mesmo? Não tenho esta certeza. House não é do tipo humanitário.
Não é idealista, nem missionário. Pouco ou quase nada lhe interessa. Quando inevitável, atende um ou outro paciente. Mas não porque desrespeite o doente, a dor alheia. Acho que não. House tenta se focar no que interessa.

Quando vê que o paciente não tem nada de efetivamente grave, chacoalha os ombros e saca recomendações tão surpreendentes quanto suas tiradas sarcásticas. House se interessa apenas pelos grandes casos, os mais desafiadores e delicados. Os mais controversos e obscuros. Os mais confusos.

O homem é um cerebral, um investigador de casos clínicos. O conjunto mais complexo e improvável de sintomas chama-lhe a atenção de imediato. Atrai seus dois curiosos olhos azuis. E lá vai mancando até a causa.

Aliás, taí uma metáfora inteligentíssima dos produtores da série de TV: o detetive das moléstias arrasta-se até o agente causador da doença. O médico dá passos tortuosos rumo à sanidade. Assim caminha a humanidade.

De quebra, os produtores colocam um médico fora de série com um defeito físico que o fragiliza diante de seus pares e dos pacientes. Mas que nada. O ponto mais sensível de House é em outra parte, mais acima, no ego. Não é à toa que ele gosta dos grandes casos, afinal se considera um grande craque, e com isso não há tempo a perder.
A cena clássica que se repete é House, apoiado em sua bengala, inclinado em frente a um quadro branco com um pincel atômico na outra mão. Está numa sala de reuniões e os jovens médicos de sua equipe passam a desfilar prováveis causas que explicariam aquele estranho comportamento do paciente. House vai descartando um a um. Os diagnósticos se liquefazem, derramam-se diante do mestre. Nada passa de teatro. Parece que House já sabe desde o início.

Há muitas vidas a salvar e doenças as mais absurdas a se esconder atrás de falsos diagnósticos, de leituras equivocadas de raios x, de efeitos colaterais que se travestem de sintomas.

House, embora não queira, ensina muito. A quem o acompanha no cotidiano clínico e a quem assiste a sua performance. Aprendemos que sempre os males têm início em coisas miúdas, microscópicas, invisíveis. Lembre-se: House é um infectologista, e todas as suas respostas apontarão vírus, fungos, bactérias ou coisinhas desse tamanho. Parece o óbvio, mas não é. Na vida, é assim também. Os grandes problemas não são causados por grandes agentes, mas por coisas periféricas, aparentemente sem importância. Nossos maiores impasses começam com picuinhas, com coisinhas mal resolvidas que teimamos em jogar para baixo do tapete.

House ensina ainda que as coisas não são resultados de algo isolado, mas que há uma combinação de fatores. Assim, não é apenas o vírus W3 que provoca a doença, mas a predisposição genética do paciente, e seu comportamento desregrado, associados ainda a um fator do acaso que teria desencadeado toda a seqüência. De novo, na vida, é assim. Não é a gota d´água que transbordou o copo a mais importante. Outras mais possibilitaram aquele estado de coisas, e outros aspectos contribuíram para que deixassem a torneira suficientemente aberta.

House ensina, apronta um monte e faz com que às vezes, a gente ame odiá-lo. Ele manipula os mais jovens, chega a torturar pacientes para que dêem consentimentos a certas tarefas, ignora o risco e parece querer brincar de Deus a todo momento. E com a vida alheia. São raras as vezes que erra. Sua intuição ou persistência, ou sandice, não falham.


Mas House não poderia existir na realidade. Não iria longe, como já foi este post. O Conselho Federal de Medicina cassaria seu registro. O conselho do hospital o demitiria. Aí, House iria claudicando até outro seriado. Não chegaria a Lost, pois é muito longe. Talvez se aproximasse de E.R., mas seu ego não passaria da porta. Em C.S.I., nada o atrairia: lá, as pessoas já morreram, e o desafio é outro. Possivelmente, House observasse Monk de longe, vendo nele uma boa oportunidade de clinicar. Mas desistiria em dois minutos: ninguém poderia ser mais esquisito e cheio de manias que ele…

Segundo os preceitos do Dr. House: “Nobody change…and everybody lies” (Ninguém muda…e todos mentem). Isso serve pra mim e para outras pessoas.
Ela vai ser sempre infantil, ele sempre vai ser desleixado, ela sempre vai ser ansiosa, ele sempre vai ser egoísta, ela sempre vai se atrasar. Eles nunca mudarão e eu sempre vou mentir pra mim mesma, tentando acreditar que sim. Eles sabem que não vou mudar e sempre vão mentir, ressaltando minhas qualidades numa tentativa de encobrir o feio. Todos fingem que enganam e todos fingem que acreditam.


Mas o que ninguém imaginava encontrar nesse confessionário virtual é algum pensamento positivo. Aqui está.

Posso ser intransigente e orgulhosa, mas posso, com essa vontade de participar de coisas boas, ensacar essa austeridade em momentos decisivos e engolir o orgulho feito sapo em delicadas situações que podem render felicidades futuras. É o caso de fazer rir pra poder rir.

Sei que eles não mudam, mas com essas ligações positiva de ambos os lados, ela pode ter uma epifania madura, ele pode ser mais caprichoso, ela pode esperar um pouco mais, ele pode ceder, ela pode chegar na hora certa, com o olhar certo e o jeitinho certo, o sorriso certo e as palavras certas.
Eli Amorim.

22:46

Tristeza!!!


Sim... hoje eu estou triste sim... Por mais incrível que pareça eu estou triste... triste demais... calada... confusa... Estou me sentindo sem rumo... sentimentos atrapalhados, perdidos, idéias sobrepostas... não consigo levar nada adiante... completamente estagnada... vagando sem sentido e sem direção... parece tudo difícil quando não é... o mundo me parece estranho... vou tentando entender a vida que passa por mim... entre perguntas e respostas... talvez porque coisas que pareciam que iriam ficar diferentes no ano novo estão ficando complicadas de lidar... promessas ficando empoeiradas... não estou conseguindo direcionar o pensamento.. não sei para onde vou... levaram meu tapete mágico... não há nada em minha mente... roubaram minha alegria... me sinto cansada... Eu perco o chão...eu não acho as palavras... Eu ando tão triste, eu ando pela sala... Eu perco a hora...eu chego ao fim... Eu deixo a porta aberta... Eu não moro mais em mim...eu não moro mais em mim...suspiros!!! Espero que amanhã eu acorde sem esta sensação de vazio.


Eli Amorim.

21:14

Saudades sem fim, meu pekeno!!!


Sorri quando a dor te torturar

E a saudade atormentar

Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar

Quando nada mais restar

Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz

E sentires uma cruz

Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor

E ao notar que tu sorris

Todo mundo irá supor

Que és feliz

Charles Chaplin


P.S.: Robertinho, adoro-te pra sempre!!!

Beijinhos,

Tia Eli.

20:02

Feliz Páscoa!!!


Há dois mil anos atrás, um homem veio ao mundo disposto a ser o maior exemplo de amor e verdade que a humanidade conheceria. Sua proposta de vida não foi entendida por muitos e, então, condenaram este homem e crucificaram-no, ignorando todos os seus propósitos de um mundo melhor. Houve dor, angústia e escuridão. Por três dias, o sol se recusou a brilhar, a lua se negou a iluminar a Terra, até que no terceiro dia algo aconteceu... Houve a ressurreição!
A Páscoa existe para nos lembrar deste espetáculo inigualável chamado ressurreição! Páscoa... Ressurreição do sorriso...Ressurreição da alegria de viver... Ressurreição do amor... Ressurreição da amizade...Ressurreição da vontade de ser feliz!
Ressurreição dos sonhos, das lembranças e de uma verdade que está acima dos ovos de chocolate: Cristo morreu, mas ressuscitou, e fez isso somente para nos ensinar a matar os nossos piores defeitos e ressuscitar as maiores virtudes sepultadas no íntimo de nossos corações.


Que esta seja a verdade da nossa Páscoa.


Beijinhos,

Eli.

13:59

Passado Distante, bem distante!!!


Como eu pude um dia me apaixonar por você?
Como eu pude um dia me envolver com alguém assim?
Tão diferente de mim
Tão nem aí pra sonhar
Por que tem que ser assim?
Bem que eu pudia mudar
Se é errando que se aprende eu aprendi com você
Só se sabe o que é bom quando conhece o ruim
Graças à Deus teve fim
Viver sofrendo não dá
Faça um favor pra mim?
Nem venha me procurar
Não perco mais um dia de sol
Não deixo que a tua sombra me assuste
Nem pense que eu fiquei na pior
Não vêm me procurar, desilude
Você me entristeceu sem saber
Eu tive que mudar foi preciso
Teu segredo roubou o meu sorriso...



Música: Teu Segredo - Jeito Moleque.


P.S.: André, apesar de tudo, aprendi muito com você, por incrível que pareça...Espero que seja feliz, muito feliz...


Eli Amorim.

00:20

Decepção!!!


Não direi que estou calejada, vez que descobri que até nesta fase da vida, em que me encontro, me deparo com enganos, decepções, e erros ao acreditar que sou capaz de enxergar a alma e os sentimentos das pessoas às quais me apresento de coração aberto e com entrega total e, somente o tempo (muito tempo) acaba me mostrando o quanto errei ao crer na sinceridade do que ouvia e dos atos que eu julgava serem praticados com lealdade e amor.

Descobri que sou incapaz de conhecer alguém verdadeiramente, porque acredito na ilusão dos meus olhos, dos meus ouvidos, do meu coração. Eu seria capaz de garantir, sem pestanejar, que reconheceria, em qualquer lugar deste planeta, o ser que materializasse tudo que sonhei, pq queria piamente que aquele que soubesse interpretar a minha alma, que revelasse extrema identidade com o meu modo de ser, de pensar, de agir, sentisse por mim tudo que eu lia nos seus olhos, que ouvia da sua boca, que encontrasse nos seus gestos. Errei e como errei! Descobri que a sensibilidade e até o amor podem ser teatralizados qdo existe platéia.
Descobri, tristemente, que algumas pessoas, sob o manto de pretensas carências afetivas, de sonhos que completem seus mais íntimos sentimentos, de demonstrações efusivas de realização pessoal, esquecem que do outro lado existem seres humanos de verdade e que brincar com sentimentos, em qualquer fase da vida, pode causar rombos incorrigíveis e feridas incicatrizáveis, em corações de boa fé, repletos de amor sincero para ser doado em toda sua dimensão ao ser que se dispôs a recebê-lo.

Descobri que o anonimato também é um manto protetor da maldade, de espadas que são fincadas em nossas costas, para que sequer vejam os nossos tristes olhos derramando suas lágrimas de dor. Encontrei pessoas que demonstram crer firmemente, que o tempo muda sentimentos, cura feridas sentimentais, faz esquecer, apresenta outras pessoas capazes de fechar chagas, abertas por punhais insensíveis que cutucam o fundo de nossa alma, até perfurá-la, abandonando-a ao sangramento.

A essas pessoas deixo o meu sorriso amarelo, apenas em atenção à pre-disposição de tentarem aliviar a minha dor ou de demonstrarem o seu divertimento com ela. Mas, deixo claro que não me convencerão, pelo simples fato de desconhecerem uma ferida tão aberta e tão machucada. E desconhecerem, também, a extensão do sentimento que se viu tão ofendido. Encontrei pessoas que jamais deixaram de se divertir com o sofrimento alheio, muitas das quais foram armas bem calibradas utilizadas para o vaticínio. A todas elas eu dedico minhas orações.

Sei que todos passarão a vida buscando a mesma felicidade que eu havia encontrado e que me foi extirpada, Não, eu não direi que estou calejada. Direi, apenas, que o meu coração endureceu, que um único ser foi capaz de me transformar, primeiramente plantando um jardim perfumado dentro de mim, e, depois, arrancando cada galho, cada flor, cada semente, sem anestesia, até remover toda a terra capaz de reproduzir, deixando, enfim, um terreno árido, improdutivo.

Ninguém conseguirá compreender o que isso significa verdadeiramente. Nem mesmo o jardineiro que também assumiu o papel de destruidor. Destruidor de sonhos, de crenças, de esperanças, de magias, de encantamento, de ilusões. É bem verdade que a vida continua e que dela devemos absorver o que há de melhor e que o melhor é produzido por nós mesmos. Somos os únicos responsáveis por isso. Mas não é verdade, que a vida seguirá seu caminho com a mesma alegria e a mesma felicidade para quem amou de verdade, solitariamente.


Eli Amorim.

14:18

Estamos com fome de amor!!!


Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.

Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos “personal dance”, incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos Orkut, o número que comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” até a desesperançada “Nasci pra ser sozinho!”.

Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.

Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta.

Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida”.

Antes idiota que infeliz!

Arnaldo Jabor.


Obs.: Ótimo texto!!! Brilhante!!!


Beijinhos,

Eli.

23:17

Entendendo a vida!!!


A vida não é manter placar, não são quantos amigos você tem ou quanto você é aceito, não é sobre seus planos para este final de semana ou se você está sozinho. Não é sobre quem é sua família ou quanto dinheiro ela tem, ou que tipo de carro você dirige ou quando você foi mandado à escola. Não é sobre o quanto você é bonito ou feio, sobre suas roupas ou sapatos e muito menos o tipo de música você ouve. A vida não é isso!

Mas a vida é sobre quem você ama e quem você machuca, é sobre quem você faz feliz ou infeliz propositalmente, é sobre manter ou trair a verdade, é sobre amizade, usada como algo sagrado ou como uma arma. É sobre o que você diz e pensa, é sobre ciúme, medo, ignorância e vingança. É sobre carregar internamente o amor e o ódio deixando-os crescer e espalhando-os. Porque não escolher o amor! Eu escolhi...e vc???


Beijinhos,

Eli.

23:58

Não pergunte aos universitários, pelo amor!!!


Vamos colocar um pouco de humor neste blog...hehehe...
Nunca, mas nunca pergunte aos universitários, você poderá se surpreender com as pérolas extraídas destes seres...hehehe...Preparados?

Então leia as respostas que selecionei e com minhas observações ao final de cada uma...é de chorar de rir, ou será de tristeza? Vamos ver!!!


1. Lavoisier foi guilhotinado por ter inventado o oxigênio. (Já imaginou isso!)

2. O nervo ótico transmite idéias luminosas para o cérebro. (Se o cara é obtuso, o nervo dele deve emitir idéias sombreadas, não é mesmo?).

3. O vento é uma imensa quantidade de ar. (Que coisa! Não tinha pensado nisso!).

4. O terremoto é um pequeno movimento de terras não cultivadas.(Só faltou completar que esse movimento é um braço armado do M.S.T.).

5. Os egípcios antigos desenvolveram a arte funerária para que os mortos pudesse viver melhor. (Nada mais justo! Não dá para viver a eternidade desconfortavelmente...aff...).

6. Péricles foi o principal ditador da democracia grega.(Isso! E Stalin foi o principal seguidor de Mahatma Ghandi...).

7. O problema fundamental do terceiro mundo é a superabundância de necessidades.(A criatura que escreveu isso, deve ter raciocinado com a própria abundância e não com o cérebro).

8. O petróleo apareceu há muitos séculos, numa época em que os peixes se afogavam dentro d"agua. (Sim! Foi no mesmo período geológico em que as aves tinham vertigem e as minhocas claustrofobia).

9.A principal função da raiz é enterrar. (É impressionante!)

10.O Sol nos dá calor e turista. (Esse, com certeza é carioca, numa boa!).

11. As aves têm na boca um dente chamado bico. (Fiquei de queixo caído! Ou melhor, de porta-bicos caído rs).

12. A unidade de força é o Newton, que significa a força que se tem que realizar em um metro da unidade de tempo, no sentido contrário. (O relógio desta anta deve ter cm, m e km) .

13. Lenda é toda narração em prosa de um tema confuso.(Entendeu, né? Todo discurso do LULA é uma Lenda).

14. A harpa é uma asa que toca. (Imagine a definição dele para trombone de vara...deixa pra lá rs).

15. A febre amarela foi trazida da China por Marco Polo. (Se Marco Polo tivesse viajado aos EUA traria a febre vermelha, dos índios).

16. Os ruminantes se distinguem dos outros animais porque o que comem,comem por duas vezes. (Este é um grande observador da própria família).

17. O coração é o único órgão que não deixa de funcionar 24 horas por dia. (Imagine o alívio que senti ao ler isso...ufa!).

18. Quando um animal irracional não tem água para beber, só sobrevive se for empalhado.(Deve ter sido o destino do autor da frase).

19. A insônia consiste em dormir ao contrário. (Perfeito! Morte é viver ao contrário, não é?).

20. A arquitetura gótica se notabilizou por fazer edifícios verticais. (Melhor pular essa...)

21. A diferença entre o Romantismo e o Realismo é que os românticos escrevem romances e os realistas nos mostram como está a situação do país. (É...e ainda faltam várias para corrigir...).

22. O Chile é um país muito alto e magro. (Confundiu o Chile com o nosso ex-Vice-Presidente, Marco Maciel).

23. As múmias tinham um profundo conhecimento de anatomia. (Para mim, a mais "marcante" de todas).

24. Na Grécia, a democracia funcionava muito bem porque os que não estavam de acordo se envenenavam. (Pensando bem, não é má idéia. O difícil é convencer as pessoas).

25. A prosopopéia é o começo de uma epopéia. (E uma centopéia deve ser 100 epopéias).

26. Os crustáceos fora d'água respiram como podem. (Coragem, faltam poucas prá comentar...)

27. As plantas se distinguem dos animais por só respirarem à noite. (Que perspicácia!)

28. Os hermafroditas humanos nascem unidos pelo corpo. (E, os xifópagos são indivíduos bi-sexuais...).

29. As glândulas salivares só trabalham quando a gente tem vontade de cuspir. (Bem, já que cheguei até aqui...vamos adiante!)

30. Os estuários e os deltas foram os primitivos habitantes da Mesopotâmia. (Que que é iiiiiiisso?!).

31. O objetivo da Sociedade Anônima é ter muitas fábricas desconhecidas. (O Tráfico de Drogas é a maior das S.A's. A frase seguinte é ainda pior...).

32. As Sociedades são Anônimas por que seus sócios não precisam de mostrar carteirinha. (O "não precisam de mostrar..." só não é pior do que o surrado bordão da moçada: "tipo assim...").
33. A Previdência Social assegura o direito à enfermidade coletiva. (Faz sentido. O seu Plano de Saúde só servirá na ocorrência de epidemias, não é?).

34. A respiração anaeróbica é a respiração sem ar que não deve passar de três minutos. (Meu medo é descobrir que um quadrúpede desses pode ser presidente um dia...humpf)

35. O calor é a quantidade de calorias armazenadas numa unidade de tempo. (Fala a verdade: não te dá uma sensação de vazio, impotência?)

36. Antes de ser criada a Justiça, todo mundo era injusto. (Graças a Deus, esta foi a última...).


Eu não aguento essas coisas...só rindo mesmo!!! Olha o futuro aí gente!!!


Beijinhos,

Eli.

18:43

Eli por ela mesma! Parte III


Não pude deixar de ler este texto e não postar aqui, já que me identifiquei com muita coisa que a autora escreveu.

Bjos,

Eli.


Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.

Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.

Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.

Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.

Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.

Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.

Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.

Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.

Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.

Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.

Já tive crises de riso quando não podia.

Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.

Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.

Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.

Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.

Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.

Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.

Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.

Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...

Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".

Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.

Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.

Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.

Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.

Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.

Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.

Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!

Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!

Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.

Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!

Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.

Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.

Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:

- E daí? EU ADORO VOAR!


By Clarice Lispector

15:03

APRENDI!!!

Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.


Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.

Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.

Eu aprendi... Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho.

Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.

Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles. Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem.

Aprendi que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.
Aprendi... Que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.

Aprendi que posso ficar furiosa, tenho direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel. Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.

Eu aprendi... que minha melhor amiga vai me machucar de vez em quando, que eu tenho que me acostumar com isso. Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.

Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.

Eu aprendi... Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto.

Aprendi que numa briga eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver. Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem.

Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida.

Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes.

Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio. Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.

Beijinhos,


Eli.



12:26

Momento Insano!!!


"Eduque seu coração para ele não ficar trocando de amor como se troca de roupa.
Destruir um amor por outro é viver com o coração remendado..."
Inácio Dantas
Beijinhos,
Eli.